close
Orangutan

Bornéu é a terceira maior ilha do mundo, que compartilha território com a Indonésia ao sul e a Malásia e Brunei ao norte. Esta ilha sempre foi famosa por sua biodiversidade, floresta tropical com centenas de espécies de animais selvagens e belas ilhas com água azul, especialmente conhecidas entre mergulhadores por seus corais coloridos. É dos lugares mais belos, naturais e únicos que você pode encontrar na sua viagem ao sudeste da Ásia, é também um dos únicos lugares no mundo onde você pode ver orangotangos em seu habitat natural, juntamente com Sumatra, Indonésia. Não é só o habitat para os orangotangos, mas também outras espécies únicas, como os macacos probóscide (os narigudos), sun bears, elefantes pigmeus, cobras, tarsiers, leopardos e várias espécies de aves.

Esta maravilhosa ilha está enfrentando hoje uma de suas maiores ameaças. O desmatamento maciço de suas árvores e a destruição desenfreada de sua floresta tropical fizeram com que Bornéu fosse rapidamente destruído. Nas últimas décadas, grande parte do seu território tem sido vítima de plantio, fabricação e comercialização de óleo de palma, borracha, entre outros. O óleo de palma hoje é o principal culpado da destruição maciça das florestas da ilha.

O óleo de palma é o segundo óleo mais importante do mundo, depois do petróleo. Você provavelmente consumiu centenas de produtos contendo óleo de palma sem perceber. Ele está presente na maioria dos produtos processados, como nutella, xampus, sabonetes, biscoitos, chocolate, margarina, sorvetes, molhos, batatas fritas, creme dental, batom, entre outros. O óleo de palma tem sido há anos o substituto da manteiga (que é muito mais cara) e que dá suavidade e cremosidade aos produtos, sejam alimentos ou produtos de beleza.

De acordo com a WWF, as principais marcas que consomem óleo de palma são:

Retail

Retailers aceite de palma
  • Walmart
  • IKEA
  • Tesco
  • Migros
  • Carrefour
  • Sainsbury’s

Bens de consumo

Bienes de consumo aceite de palma
  • Unilever (Magnum, Ben&jerry’s, Cornetto, Hellmans, Lipton, Pepsodent, Treseme, Dove, Axe, St. Ives, Cif, Bresler, Omo, Lux, Rexona,etc)
  • Procter&Gamble (Dawn, Tide, Vicks, Pepto Bismol, Oral-B, Crest, Gillette, Always, Tampax, Old Spice, Pampers, etc)
  • PepsiCo (KFC, TacoBell, Pizza Hut, Quaker, Doritos, Ruffles, Lays, Cheetos, Tostitos, Pepsi, Gatorade, Dole, Tropicana, 7up)
  • Nestlé (Nestea, Kit-Kat, Nescafé, Nespresso, Crunch, Purina, Friskies, Nesquik, Garnier, Vichy, Maybelline, The Body Shop, Biotherm)
  • Unigrà
  • Mondelēz (Oreo, Milka, Halls, Trident, Lacta, Bis, Club Social, Tang, Philadelphia, Toblerone)
  • Ferrero (Nutella, Ferrero Rocher, TicTac, Kinder, Rafaello)

Companhias de alimentos

Alimento aceite de palma
  • McDonald’s
  • Krispy Kreme Doughnuts
  • Restaurant Brands International (Burger King, Tim Hortons, Popeyes)
  • Délifrance
  • Wendy’s
  • Sodexo

Estas empresas são grandes consumidores de óleo de palma, usando toneladas por ano para fabricar a maioria de seus produtos (não 100% dos produtos tem óleo de palma). Podemos encontrar óleo de palma presente nos rótulos dos produtos sob as seguintes denominações: óleo de palma, óleo vegetal, palmitato de sódio ou sodium palm kerenelate.

Ao viajar de ônibus pelo Bornéu malaio, de Sepilok ao rio Kinabatangan, estávamos olhando pela janela enquanto íamos lendo sobre o impacto ambiental que tinha sofrido a ilha após o plantio de palmeiras africanas. Em um determinado momento nós abrimos um pacote de biscoitos e adivinha, tinha óleo de palma! A vontade de comê-los desapareceu completamente e, obviamente, o sentimento de culpa veio depois. Depois disso, começamos a ler todos os rótulos dos produtos que consumimos e ficamos surpresos ao descobrir que quase todos tinham óleo de palma! Nos causou um impactou ainda maior ver ao vivo aos orangotangos, elefantes, pássaros, ursos e macacos e saber que nós, as pessoas, estamos destruindo nosso planeta a passos agigantados. Diz-se que a população de orangotangos caiu 50% na última década e esperam sua extinção completa em até 50 anos, de acordo com a Fundação Internacional para orangotangos.

Malásia e Indonésia escolheram óleo de palma como uma de suas principais fontes de renda, recebendo uma enorme quantia de dinheiro, mesmo que isso signifique ter que desistir de sua flora e fauna tão preciosas. Ambos os países representam 86% da produção mundial de óleo de palma. E não apenas em Bornéu essas plantações são vistas, mas também na Malásia peninsular, nos arredores de Kuala Lumpur. Quando você chegar de avião à capital malaia, você notará a grande quantidade de terra destinada à plantação de palmeiras africanas.

Provavelmente, se as consequências do plantio dessas palmeiras não fossem tão prejudiciais ao solo, não seria tão preocupante. Mas o que acontece com o solo após o plantio das palmeiras é a infertilidade total. Terras que são transformadas em terras inférteis e inutilizáveis ​​e onde a selva nunca mais será vista. Isso contribui para a aceleração da extinção de várias espécies, ao privá-las do seu habitat natural. É por isso que a situação é tão séria e preocupante.

O óleo de palma cresce melhor em áreas tropicais úmidas e baixas – exatamente onde a floresta tropical cresce naturalmente. A limpeza das plantações de palmeiras africanas levou à destruição generalizada da floresta tropical, especialmente na Indonésia e na Malásia. Isso dafinciou os habitats de animais selvagens únicos, incluindo elefantes, orangotangos, rinocerontes e tigres, juntamente com uma série de outras plantas e animais.http://palmoilscorecard.panda.org/

Na Malásia, algumas pessoas nos disseram que os donos de terras de palmeiras africanas são os mesmos donos das empresas de construção e imóveis, que usarão essas terras inférteis para depois construir casas. Nós não sabemos se isso é 100% verdadeiro, mas é o que as pessoas dizem. Nós só testemunhamos o que está acontecendo no Bornéu da Malásia e o que vimos nos deixou com uma sensação de tristeza, raiva e impotência. Toda vez que viajávamos por estrada de uma cidade para outra, vimos centenas de acres de palmeiras africanas e nenhuma selva como os programas de TV mostravam.

Em Sepilok, onde se encontram os santuários de orangotangos, macacos probóscide e sun bears, eles têm algumas áreas protegidas como parques nacionais para que esses animais possam viver em seu habitat e sobreviver na ilha. Infelizmente a sobrevivência é a única coisa que os resta. Nas margens do rio Kinabatangan ainda existe alguma floresta, mas pela única razão que ajuda a manter o abastecimento de água da ilha. Em nossos três dias de passeios pelo rio, pudemos ver em algumas ocasiões, as palmeiras plantadas no meio da selva. Toda vez que conversávamos com os moradores da ilha, até mesmo o guia (que por sinal sabia muito sobre tudo), ninguém tinha a menor idéia dos efeitos do plantio de palmeiras na ilha. Cada pessoa o via como uma oportunidade de ganhar dinheiro de maneira mais fácil.

Nossa missão aqui não é julgar as pessoas que vivem na ilha e nem mesmo aqueles que trabalham plantando essas árvores que causam tanto dano. Nossa missão neste post é relatar o que está acontecendo na ilha de Bornéu e na Malásia em geral. O governo é responsável por educar a população sobre questões ambientais e são eles que usam os recursos naturais das pessoas e animais que habitam a ilha de Bornéu. Em outras palavras, não é o povo da ilha quem é o culpado por isso, mas sim as grandes empresas e o governo.

Nos últimos dias vi algumas pessoas compartilharem algumas postagens sobre como Nutella é o produto responsável pela morte dos orangotangos. Em parte é verdade, mas não se engane, não nos esqueçamos das outras corporações e as centenas de produtos que também usam o óleo de palma como um dos seus principais ingredientes, e não deixemos de lado os outros animais da ilha que também estão ameaçados além dos orangotangos. É provavelmente impossível parar de consumir alimentos, produtos de beleza ou de limpeza que usam óleo de palma, mas pelo menos podemos fazer uso mais consciente deles ou eliminar alguns produtos de nossa lista de compras quando formos ao supermercado. A indústria de óleo de palma não vai acabar, na verdade a demanda continuará a aumentar, mas nossa missão é torná-la uma indústria sustentável, e isso pode ser alcançado.

O WWF tem uma página dedicada apenas ao óleo de palma, da qual pegamos as fotos acima e algumas das informações que usamos neste post. Te convidamos a visitar a página, aprender sobre o tema e ver como cada um pode ajudar. Você também pode baixar o pdf aqui. É nossa responsabilidade deter o desmatamento desenfreado e cuidar dos animais do nosso planeta antes que seja tarde demais!

Tags : AsiabackpackingMalasiaSudeste asiaticoTravellingviajes
Tiago

The author Tiago

Consultor CRM en los últimos 10 años y ahora Backpacker. Apasionado por el futbol, la cocina y los viajes.

Leave a Response

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.